IGP-DI reduz queda em maio a 0,51% com recuo menor de preços no atacado, diz FGV

13/06/2017

IGP-DI

O Índice Geral de Preços-Disponibilidade Interna (IGP-DI) reduziu a queda em maio a 0,51%, após recuo de 1,24% em abril, diante do recuo menor dos preços no atacado e da aceleração da alta no varejo.

Os dados divulgados na última quarta-feira, 7, pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) mostram que o Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA-DI) registrou queda de 1,1% em maio, após cair 1,96% em abril. O índice responde por 60% do IGP-DI.

Dentro do IPA, os Bens Intermediários passaram a avançar 0,49%, após queda de 0,86% no mês anterior. O principal responsável pela alta foi o subgrupo combustíveis e lubrificantes para a produção.

Além disso, as Matérias-Primas Brutas desaceleraram a queda a 4,55% em maio, após deflação de 5,83% em abril.

Já o Índice de Preços ao Consumidor (IPC-DI) apresentou maior pressão ao subir 0,52% no período, contra avanço de 0,12% antes. O IPC-DI mede a evolução dos preços às famílias com renda entre um e 33 salários mínimos mensais e corresponde a 30 por cento do IGP-DI.

No IPC, a maior contribuição para o resultado veio do grupo Habitação, cujos preços avançaram 1,71% depois de queda de 0,69% em abril, com destaque para o item tarifa de eletricidade residencial.

O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC-DI), por sua vez, apresentou alta de 0,63%, ante recuo de 0,02% em abril. O INCC representa 10% do IGP-DI.

O IGP-DI é usado como referência para correções de preços e valores contratuais. Também é diretamente empregado no cálculo do Produto Interno Bruto (PIB) e das contas nacionais em geral.

POR: Portal Contábil SC