Governo facilita financiamento de imóvel de até R$ 1,5 milhão

03/10/2016

 

LAT_casa

Normalmente, operações de crédito para imóveis desse valor têm taxas mais elevadas. Essa medida, na prática, vai disponibilizar um volume maior de crédito para esses financiamentos habitacionais. A expectativa é de aumentar a oferta de recursos em R$ 32 bilhões. A maior parte dos financiamentos habitacionais no Brasil tem como fonte os recursos da poupança. O Banco Central determina que um percentual dos depósitos seja usado para essas operações de crédito.

Com essa medida, ficou definido que 6,5% do saldo médio dos depósitos de poupança vão financiar imóveis de até R$ 1,5 milhão. A determinação valerá por 12 meses, ou seja, as contratações das operações têm de ocorrer em até um ano.

Uso do FGTS no financiamento habitacional

Para essas operações, no entanto, não será possível usar o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) para abater parte das prestações ou do saldo devedor. Isso porque o CMN não alterou os limites de valor de avaliação de imóveis contratados no âmbito do Sistema Financeiro de Habitação (SFH). A avaliação máxima para um imóvel ficou em R$ 750 mil para os financiamentos concedidos nos Estados de Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo e no Distrito Federal; e R$ 650 mil nas demais unidades da Federação. O CMN é um conselho formado pelo Ministério da Fazenda, pelo Ministério do Planejamento e pelo Banco Central. Eles se reúnem ordinariamente no fim de cada mês e têm a missão de regular as finanças brasileiras.

Portal Brasil

 

 

POR Portal Contábil SC